quarta-feira, 21 de junho de 2017

TRANSTORNO DA PERSONALIDADE








Segundo o DSM-5 Transtorno da Personalidade é um padrão persistente de experiência interna e comportamento que se desvia acentuadamente das expectativas da cultura do individuo, é difuso e inflexível, começa na adolescência ou no inicio da vida adulta, é estável ao longo do tempo e leva a sofrimento ou prejuízo.

Padrões inflexíveis e mal adaptativos e causam prejuízo funcional ou sofrimento subjetivo significativos. Esses padrões abrangem uma grande faixa de situações pessoais e sociais em diversas áreas da vida da pessoa.
Identificar um Transtorno de Personalidade exige uma avaliação dos padrões de funcionamento ao longo prazo da vida desta pessoa, estando evidentes no começo da vida adulta.  Muitas vezes, essas pessoas têm dificuldade em se reconhecer com o problema.

No inicio da vida adulta espera se que a pessoa esteja consolidando estabilidade na vida profissional, social e afetiva. Pessoas com transtorno da personalidade dificilmente conseguem se manter por muito tempo, pois assim que começam a se mostrar as coisas tendem a dar errado.
Exemplo: rotatividade profissional nunca fica muito tempo na mesma empresa. Tem dificuldade de aceitar ordens ou se ajustar as regras. Nos relacionamentos afetivos tendem a ser agressivos, possessivos, autoritários e manipuladores.




As pessoas com transtorno de personalidade costumam mentir, até mesmo como uma forma de defesa. Assim tendem construir uma relação afetiva baseada na impossibilidade que o outro o deixe. É muito comum presentes excessivos, elogios demasiados, planos fantasiosos sobre o futuro, como se previsse que pudesse ser deixado.

Costumam em decorrência de comportamentos mal sucedidos ter muitas perdas ao longo das experiências profissionais, afetivas e sociais. Tornam –se então pessoas frustradas, sem sucesso, queixosas e sozinhas.
Pessoas assim geralmente não tem amigos, são isoladas, acabam desenvolvendo crenças supersticiosas “comigo é assim mesmo” porque pra mim tem que ser tudo difícil” “as pessoas sempre me deixam” “sempre tem um invejoso pra me ferrar” eu sou melhor que meu chefe por isso ele me persegue” “eu fiz tudo por essa pessoa e olha como me retribui”.



Tratamento

O tratamento costuma ser bem sucedido através da psicoterapia cognitivo comportamental que tem por objetivo intervir na modificação de crenças disfuncionais, interpretações distorcidas da realidade, padrões cognitivos disfuncionais. O uso de técnicas apropriadas para cada transtorno da personalidade especifico garantem um tratamento seguro, eficaz, sem iatrogênese. O diagnostico psicológico deve ser elaborado pelo psicólogo.


Nenhum comentário:

Postar um comentário